NA CONTRALUZ DA DIFERENÇA

Installation

“Dos desfasamentos comunicacionais, da alteridade dos seus significados perante formas de cultura diversas, trata a obra Na Contraluz da Diferença (Translation Failure). Partindo do exercício de descrição oral do rosto de um filósofo, por pessoas de condições sociais
e meios culturais diversos, para as quais ele será ou não um conhecido, procede-se à instauração de micro-narrativas que processam leituras e significados heterogéneos de uma mesma identidade. Trata-se de compelir o confronto entre diferentes linguagens visual/verbal e, de forma mais fracturante, desconstruir uma identidade possível da alta cultura, através do recurso a discursos que lhe são opostos e aparentemente sem comu- nicação possível. Pode a alta cultura tolerar a intromissão de linguagens e processamento de juízos da baixa cultura? Até que ponto a instauração da diferença cultural não veio substituir a querela da luta social? Emília Tavares in ‘Mandei-o matar porque não havia razão”, Fenda 2011.

 

[Excerpt]

Espaço Avenida

Exbition :
MANDEI-O MATAR PORQUE NÃO TINHA RAZÃO

Curadoria de Emília Tavares