PASSAR A FERRO

Viagem Norte

Viagem Sul

Construído a partir duma dupla projecção vídeo e de material de arquivo, o projecto propõe um itinerário visual sobre o lugar do não acontecimento que é a travessia regular, diária e rotineira entre as duas margens do rio Tejo, entre Lisboa e Cacilhas. O que liga duas margens é matéria de pensamento secular e mítico. Neste trabalho interessa-nos reflectir sobre o lugar eternamente confinado a uma possibilidade de transcendência de si mesmo, cujo sentido da trajectória é precisamente essa possibilidade, nada mais que isso, e o modo como a característica desse não lugar opera sobre o social.
Os conceitos de “prisioneiro da passagem” (Foucault) ou “interioridade de expectativa” (Blanchot sobre Foucault) servem de ponto de partida para construir uma efabulação visual sobre as ordens anti-narrativas do real e sobre os processos de aprisionamento social que ocorrem neste espaço de interregno que é o da duração duma viagem entre as duas margens.
Neste percurso desvendamos ainda a dissolução das estruturas simbólicas da viagem, a sua erosão perante a ordem do económico e da desigualdade social que é também uma desigualdade geográfica, simbólica e histórica. AP / ET 2011

In Collaboration with Emília Tavares

Screening Round the Corner 2011
Tertúlia do Dragão 2012

 


CONVITE-ROUND